terça-feira, 15 de março de 2016

A íntegra do depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, foi disponibilizado pela Justiça Federal no Paraná no dia (14). E em seu depoimento, Lula foi bastante polêmico em suas declarações e justificativas.

Em um das perguntas feita para o ex-presidente, se era normal empresas procurarem espontaneamente seu instituto para oferecer doações, Lula foi claro e franco em sua resposta, contando que ninguém procura ninguém espontaneamente para dar dinheiro, citando de exemplo o dízimo.

"Nem o dízimo da igreja é espontâneo. Se o padre ou o pastor não pedir, meu caro, o cristão vai embora, vira as costas e não dá o dinheiro. Então, dinheiro você tem que pedir, você tem que convencer as pessoas do projeto que você vai fazer, das coisas que você vai fazer", detalhou o ex-presidente.

Lula ainda acrescentou em sua resposta: "Lamentavelmente, no Brasil, ainda não é uma coisa normal. Mas, no mundo desenvolvido, isso já é uma coisa normal, ou seja, não é nem vergonha nem crime alguém dar dinheiro para uma fundação. Aqui no Brasil, a mediocridade ainda transforma tudo em coisas equivocadas."

No depoimento, o ex-presidente também disse que não pede dinheiro porque não faz parte de sua vida política. “Desde que estava no sindicato, eu tomei uma decisão: ‘eu não posso pedir nada a ninguém porque eu ficaria vulnerável diante das pessoas'”. Informações JM Notícias.

1 comentários:

  1. Quando alguém é religioso, o que o ex presidente pode até ser uma realidade a respeito do dízimo, mas se ela nasceu de Deus é espontâneo sim, e mais, uma honra. Mas acredito numa corja política aproveitando a situação para denegrir a imagem de pessoas que fizeram algo pelo povo. Tô vendo na mídia o Aécio igual urubus quando tem alguma manifestação, lá está ele se promovendo. Não estou feliz com o atual governo; mas esse que tá rondando querendo entrar.., não me inspira confiança.

    ResponderExcluir