segunda-feira, 29 de agosto de 2016


Com poucas chances de vencer o processo de impeachment, que está em reta final para decidir se a presidente afastada Dilma Rousseff volta ou não à assumir o posto da presidência, pediu oração especial para os evangélicos contra o que ela julga de "golpe".

Na carta escrita por Dilma, ela diz que os evangélicos não oram somente por ela, mas pela ordem da democracia. "Sei que você não oram apenas por mim, mas pelo restabelecimento da ordem democrática, um valor que está acima de todos nós. Mas a vitória sobre o golpe implica mais que isso", disse a presidente na carta.

A carta foi enviada para a "Frente de Evangélicos pelo Estado de Direito", onde também pediu para o grupo ficar atento ao início de uma etapa do julgamento do processo de impeachment no Senado. "Frente de Evangélicos pelo Estado de Direito" é uma página no Facebook criada por evangélicos que segundo a descrição da página, tem o objetivo de defender o estado democrático e da ordem constitucional.

Dilma declara na carta que sua ida ao Senado tem o objetivo de se defender humilde e respeitosamente, afim de fazer os senadores refletirem para não cometerem o que ela considera "injustiça", com o seu afastamento definitivo da presidência.

Para a presidente afastada, o impeachment sem a comprovação do crime é uma ruptura institucional, acreditando ela ser a mesma coisa que rasgar a constituição-cidadã escrita em 1988. "Impeachment sem crime comprovado é golpe", contou Dilma.



0 comentários:

Postar um comentário