segunda-feira, 15 de agosto de 2016

Você ouviu falar ou acompanhou o caso "Patrícia Lélis", que acusou o Deputado e Pastor Marco Feliciano por tentativa de estrupo? Então, segundo o delegado responsável pelo caso, Luiz Roberto Hellmeister, da delegacia de Santa Efigênia, na capital paulista, Patrícia está mentindo em diversos momentos com o objetivo de incriminar o deputado e seus assessores.

O chefe de gabinete do deputado e pastor Marco Feliciano, Talma Bauer, admitiu em depoimento que pagou 20 mil reais a um amigo da estudante de jornalismo, Patrícia Lélis, com o objetivo de fazer Patrícia parar de acusar Marco Feliciano de estupro.

O delegado contou que está convencido de que o dinheiro pago pelo chefe de gabinete, foi pago porque Patrícia extorquiu o assessor de Feliciano. "Patrícia está ameaçando divulgar uma notícia bombástica, o que fará a situação de Feliciano piorar, porque ele é pastor, não só deputado, o que pode ter um dano incalculável na vida dele. Ela está condicionando contar um fato real ou mentiroso para ter uma vantagem", contou o delegado para a CBN.

Segundo o delegado, uma das mentiras, é que ela teria sido sequestrada e mantida em cárcere para gravar o vídeo em que desmente as acusações que tinha feito contra o deputado anteriormente. Imagens de câmeras de segurança, mostraram que no dia que teria acontecido o suposto sequestro, Patrícia estava em um hotel na cidade de São Paulo junto com Bauer, onde os dois aparecem descontraídos e se abraçando. E o que mais descaracteriza a versão de que ela foi coagida a recuar das acusações, é que junto com Patrícia, a mãe e um amigo, estavam hospedados no mesmo hotel.

Devido as provas, o delegado afirmou que vai indiciar Patrícia Lélis pelos crimes de extorsão e denúncia caluniosa, penas que variam de 6 à 20 anos de reclusão. Patrícia que também é militante do mesmo partido de Feliciano, contou que o deputado e pastor tentou estuprá-la, e que ainda a agrediu dentro do apartamento funcional em Brasília, no dia 15 de junho.

A delegacia da Mulher investiga Feliciano pelas denúncias de estupro, e a Polícia de São Paulo está apurando somente o suposto sequestro com cárcere.

O pastor e deputado fez um vídeo recentemente se defendendo das acusações. Assista:

Informações e fonte "CBN".

0 comentários:

Postar um comentário