segunda-feira, 8 de agosto de 2016


O padre Irlandês afastado, Neil Cornelius Horan, que atacou Vanderlei Cordeiro durante uma prova da maratona da Olimpíada de Atenas em 2004, voltou a aparecer na mídia internacional essa semana, logo após a brilhante aparição de Vanderlei acendendo a pira Olímpica.

O padre que poderia aparecer com um discurso mais amigável, ou até mesmo feliz, por ver uma pessoa que ele prejudicou dando a volta por cima, deu uma declaração nada humilde, parecendo de certa forma se incomodar com o sucesso do brasileiro.

Doze anos depois de atacar o brasileiro Vanderlei Cordeiro durante uma prova, que impediu o atleta brasileiro de ganhar a medalha de ouro, Cornelius se surpreendeu em ver Vanderlei acendendo a pira olímpica, a ponto de não só sentir-se surpreendido, mas ficar com raiva em ver a cena.

Segundo o jornal americano 'The New York Times', o padre que foi afastado do sacerdócio, contou que ao ver Vanderlei acendendo a pira pensou consigo mesmo: "Você não seria a estrela que é hoje se não fosse por mim."

Ao jornal americano, o padre Irlandês sente essa raiva de Vanderlei desde que tentou fracassadamente se reconciliar com o brasileiro.

Cornelius contou que enviou duas cartas para Vanderlei, escritas em português, mas nunca teve resposta. Devido as não respostas do brasileiro, o padre acredita que Vanderlei falhou no básico da decência humana e da cortesia.

"Eu realmente gostaria de conhecer ele e sua família. Ele falhou miseravelmente no básico da decência humana e da cortesia", contou o padre para o The New York Times.

O padre afastado que acredita que em breve o fim do mundo e o retorno de Jesus Cristo acontecerá, tem o costume de intervir em eventos esportivos para promover suas crenças. O padre também conta que sentiu-se atacado por Vanderlei ao ser chamado de religioso fanático. "Vejo isso como um ataque a mim, a minha missão e ao próprio cristo", contou o padre afastado.

0 comentários:

Postar um comentário