quinta-feira, 18 de agosto de 2016

A grande pivô do caso envolvendo o deputado e pastor Marco Feliciano, Patrícia Lélis, esteve ontem (17) no programa "SuperPop", da RedeTV!, apresentado por Luciana Gimenez, para reiterar suas acusações contra o pastor.

A estudante de jornalismo, Patrícia Lélis, que foi confrontada por Luciana Gimenez, pareceu recuar nas suas afirmações, dizendo que somente falaria através da sua advogada.

Durante a entrevista, Patrícia contou que foi atraída por Feliciano para o seu apartamento, prometendo um cargo alto no partido em troca de um relacionamento extraconjugal. Patrícia declarou que negou a proposta, o que fez o pastor agredi-la e tentar estupra-la. Ela contou ter feito fotos dos hematomas que ficaram após a suposta agressão, mas perdeu todas as imagens, e que a pessoa para quem ela enviou essas imagens também as apagou.

Patrícia contou que o assessor de Marco Feliciano, Talma Bauer, teria oferecido dinheiro em troca de seu silêncio, fazendo ameaças para que ela gravasse um vídeo desmentindo as acusações divulgadas na imprensa.

Luciana Gimenez, diante de todas as declarações feita por Patrícia, questionou-a sobre as imagens registradas pela câmera de segurança, comprovando que o pastor estava trabalhando na hora da suposta tentativa de violência: "As imagens não mostram que ele estava lá? Todo mundo viu!", falou a apresentadora que de imediato foi rebatida por Patrícia em uma resposta um tanto sarcástica: "Pode ser que ele tenha a benção de estar em vários lugares ao mesmo tempo", respondeu Patrícia.

Segundo a jovem, a tentativa de estupro só foi interrompida após uma mulher tocar a campainha do apartamento do pastor, o que transformaria essa mulher em uma testemunha crucial do caso, mas até o momento, não se sabe quem seria essa suposta pessoa.

Em meio as perguntas da apresentadora Luciana Gimenez, as respostas da jovem não apresentou força, a ponto da jovem não responder algumas perguntas e cair em algumas contradições.

No primeiro B.O. feito em São Paulo, o endereço do apartamento funcional do pastor informado por Patrícia, teve um erro, que segundo ela o erro foi do escrivão da delegacia, que teria trocado o Bloco H por T.

Diante das perguntas da Luciana Gimenez, e até mesmo das insinuações da apresentadora sobre o caso parecer mentiroso, Patrícia veio a se irritar, falando que só iria falar através da sua advogada. Luciana chamou o intervalo comercial e na volta, a advogada da jovem se pronunciou em seu lugar.

A jovem para finalizar acusou Marco Feliciano de ser uma pessoa totalmente diferente do que aparenta, o chamando de controverso. "Quero falar que existem outros casos. Ele não é essa pessoa que ele aparenta ser. Ele é um homem totalmente controverso, que ataca gays, feministas, e até mulheres aliadas dele. O meu apelo é: denunciem. E que a Polícia Federal entre logo no caso", contou Patrícia.

Assista:

0 comentários:

Postar um comentário