domingo, 18 de setembro de 2016

A história que você vai ler abaixo é real e prova o quanto o amor de Deus é grande.




Um homem que chamaremos de "Mohammed", por não ter seu nome divulgado, entrou em uma igreja afim de assassinar um cristão sobrevivente de um ataque feito a anos atrás pelos extremistas muçulmanos, mas para a sua felicidade, ele teve uma grande surpresa.

Com a missão de se infiltrar em uma igreja cristã específica para refugiados, Mohammed foi obrigado a assistir alguns cultos, o que o colocou em contado direto com o Evangelho, juntamente com a convivência e com o tratamento amoroso dos cristãos, causando conflitos internos no terrorista.

Mohammed não conseguia compreender como aquelas pessoas o travam bem, sem ao menos conhecê-lo, e como ele mesmo possuindo tanto ódio contra aquelas pessoas, elas demostravam tanto amor.

Certo dia, Mohammed recebeu uma oração que mudou radicalmente sua maneira de pensar, sentindo algo mudar dentro do seu coração.

"Quando eles oraram por mim, comecei a chorar como uma criança. Eu senti como se algo muito pesado tivesse saído de mim. Quando o culto terminou, fui para casa, mas havia uma pessoa andando comigo, e eu sentia que não estava na terra. Pensei comigo: 'Eu estou voando? Eu sinto que não estou andando. É como se alguém me levasse'", contou o ex-terrorista.

Após a experiência obtida, o então terrorista sentiu-se obrigado a estudar a Bíblia, e inevitavelmente ele comparou a Bíblia com o Alcorão. "Descobri que este é o Deus que eu estava tentando encontrar. Este é o verdadeiro Deus. Isso é o que eu quero para a minha vida", contou Mohammed.

Mohammed contou que topava qualquer coisa para se aproximar do Deus da sua religião: "Naquele tempo, eu pensava da seguinte maneira: eu deveria matar e fazer outras coisas sangrentas para estar mais perto de Alá", relatou o ex-terrorista.

Segundo Mohammed, o Estado Islâmico é movido por uma sede insaciável de sangue. "Se você não é muçulmano, você tem que ser muçulmano ou então devemos te matar e tomar tudo o que é seu, como mulheres, dinheiro e etc", detalhou Mohammed.






Hoje Mohammed é um cristão declarado, sofrendo perseguições, vivendo juntamente com os refugiados da igreja onde se infiltrou para matar. A conversão de Mohammed serviu de exemplo para mostrar o quanto a Europa precisa de missionários nos dias atuais para acolher os refugiados.

0 comentários:

Postar um comentário