segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

Até onde as igrejas podem ir para atrair jovens? Será que vale de tudo? Será que usando as coisas do mundo para atrair jovens para as igrejas, Deus está se agradando?

O mundo gospel tem crescido no Brasil e no mundo de forma significativa, mas por trás desse crescimento, não estamos vendo o desejo de ganhar vidas para Cristo unicamente, temos visto também o mercado Gospel lucrar de forma "assustadora" e juntamente com tudo isso, os escândalos tem se multiplicado.

Existe muitas igrejas preocupadas em modernizar os cultos, introduzindo nas reuniões várias "coisas" intituladas "gospel", afim de "santificar" certas práticas. Já existe o forró gospel, arrocha gospel, sertanejo gospel, e agora, mais recente descobrimos o "Funk Gospel".


Existe um vídeo circulando na internet que mostra jovens dançando funk dentro de uma igreja evangélica ainda não identificada. Duas jovens dançam o tal de "funk gospel" de maneira sensual, e o vídeo está gerando grande polêmica.

Algumas pessoas que assistiram o vídeo, criticaram a postura das jovens e em especial da igreja, em permitir tal dança. Um comentário feito por uma internauta achou a atitude "ridícula", acreditando que a forma de dançar não agrada a Deus.

"Simplesmente ridículo! Dançar para agradar a Deus não é isso, é agradar em forma de dança. Isto é agradar ao DIABO!", escreveu uma internauta.

Já uma outra internauta elogiou, acreditando ser uma maneira de chegar até a geração de funkeiros. "Acho que é uma forma de chegar até essa geração de funkeiros. Melhor com letras assim, do que com aquelas letras que incentivam o sexo, a violência", disse uma outra internauta.

O pastor da igreja contou não ver nenhum problema em dançar qualquer estilo de música, acreditando não ser pecado dançar na igreja, desde que seja para Deus. "Não vejo nenhum problema em dançar qualquer estilo de música. Não é pecado dançar na igreja, desde que seja para Deus, não importa o ritmo ou tipo da música que esta sendo tocada", contou o pastor.

Assista o vídeo:

E você, o que acha? Deixe sua opinião!






0 comentários:

Postar um comentário