segunda-feira, 10 de abril de 2017


O "Domingo de Ramos" foi trágico para os cristãos do Egito, que sofreram com atentados em duas igrejas, que resultou na morte de 44 pessoas. A autoria do ataque foi assumida pelo grupo jihadista "Estado Islâmico", sendo concretizado por dois suicidas "homens bombas".

O ataque ocorreu logo no dia mais importante para os cristãos locais, quando os cristãos comemoram a entrada triunfal de Jesus em Jerusalém.


Nesta segunda-feira(10), os cristãos do Egito choraram, demostrando muita indignação na retirada dos corpos de seus familiares e amigos mortos, provocada pelas explosões dos "homens bombas". O desespero dos familiares para encontrar seus parentes mortos, fez as forças de segurança impedir a entrada dos familiares, o que enfureceu a população.

"Por que vocês estão nos impedindo de entrar agora? Onde vocês estavam quando tudo isso aconteceu?", questionava uma mulher que estava em busca de um familiar. Em meio a multidão que buscava seus parentes e uma resposta das autoridades locais, tinha gente que parecia estar em estado de choque, sendo que outras não se continham e choravam abertamente.

Em meio a multidão, um jovem mostrou em seu celular as imagens da tragédia, onde dava para ver nitidamente restos humanos, sangue e vidro estilhaçado espalhado pelo chão de uma das igrejas. A tragédia aconteceu em um dos dias mais sagrados para os cristãos locais, e 20 dias antes da visita do Papa Francisco ao Egito, marcada para os próximos dias 28 e 29 de abril. Informações e fonte "Veja".




0 comentários:

Postar um comentário